NOTE! This site uses cookies and similar technologies.

If you not change browser settings, you agree to it.

I understand

SDGs for All

SDGs for All is a joint media project of the global news organization International Press Syndicate (INPS) and the lay Buddhist network Soka Gakkai International (SGI). It aims to promote the Sustainable Development Goals (SDGs), which are at the heart of the 2030 Agenda for Sustainable Development, a comprehensive, far-reaching and people-centred set of universal and transformative goals and targets. It offers in-depth news and analyses of local, national, regional and global action for people, planet and prosperity. This project website is also a reference point for discussions, decisions and substantive actions related to 17 goals and 169 targets to move the world onto a sustainable and resilient path.

Por Que o Cuidado dos Olhos é Importante - Para Bangladesh e Outros Países

Por Naimul Haq

DHAKA (IDN) – John Bob Ranck, também conhecido como Bob, Oficial Executivo Chefe e Presidente da Orbis International, recentemente visitou Bangladesh em missão especial. Ele visitou alguns hospitais onde a Orbis é parceira e apoia esforços em Bangladesh para abordar a cegueira evitável.

Bob, um General Brigadeiro das Forças Aéreas Americanas aposentado, veio a Bangladesh algumas semanas após a memorável visita do programa de treinamento do hospital escola, mais conhecido como Hospital Flying Eye (FEH), em Bangladesh.

Bob, que entrou para a Orbis International em 29 de fevereiro de 2016, conversou com Naimul Haq, Correspondente da IDN-INPS em Bangladesh sobre as necessidades e suporte à saúde ocular no país sul-asiático, e compartilhou suas experiências em abordar problemas de cegueira evitável, especialmente cegueira infantil.

Bob disse: “Para cada dólar que você coloca em restauração de visão, consegue 4 dólares de volta. ” Estudos recentes em pessoas aposentadas em uma indústria particular que pararam de trabalhar porque não conseguiam mais focar em objetos adequadamente, mostraram que, quando elas eram equipadas com óculos, conseguiam continuar trabalhando por pelo menos mais dez a quinze anos.

Ele acrescentou: “Quantos negócios adorariam que seus trabalhadores mais habilidosos permanecessem em seus cargos por mais uma década? Mas não pensamos assim porque não rende manchetes. A produtividade estendida de adultos desta forma poderia fornecer maiores oportunidades de negócios e, assim, ajudar a tirar as pessoas da pobreza. Além disso, os adultos mantidos na força de trabalho são de interesse do governo. É um caso comercial, e não acho que expomos este caso comercial na frente das pessoas. ”

“Uma das melhores coisas que posso fazer é apoiar a Orbis Bangladesh no desenvolvimento de novas parcerias e deixá-las saber que a Orbis International está por trás dos esforços e por trás do que eles querem fazer,” disse Bob. Para uma população de 160 milhões de pessoas em Bangladesh, há apenas 34 oftalmologistas pediátricos. Nos Estados Unidos, existe um oftalmologista pediátrico para cada 400.000 pessoas. “Então, são dois e meio por milhão. E é sobre isso que são nossos novos esforços. ”

“Vamos tentar treinar mais oftalmologistas pediátricos e anestesiologistas que também podem ajudar nos esforços, porque existe uma necessidade incrível e as crianças merecem uma chance. Elas não terão uma chance se não tiverem cuidados oftálmicos. E francamente, os pais de crianças visualmente afetadas compreendem as dificuldades de seus filhos quando os veem com dificuldades na escola para ler o que está no quadro-negro, ou que não conseguem brincar porque são desastradas. Ao iniciar a ajuda aos esforços da Orbis Bangladesh, podemos ajudar em uma área onde existe um enorme déficit. ”

“O que posso fazer como chefe da organização de fora é olhar os programas da Orbis no mundo todo.” Atualmente, a organização está implementando 56 programas em 18 países, “e talvez poderíamos ter lições de outros países onde programas semelhantes, mas muito eficientes, estão em progresso, e poderíamos colaborar para moldar as coisas de maneira diferente que são valiosas aqui em Bangladesh. ”

“Eu poderia facilitar a colaboração que poderia levar ao aprimoramento de habilidades de acionistas aqui em Bangladesh aprendendo com outros países,” disse Bob. Por exemplo, o desenvolvimento de uma nova aplicação para cuidados oculares hospitalares em, digamos, na China, e compartilhar o mesmo em Bangladesh talvez pudesse ajudar muito os médicos ou outros membros da equipe. Então, posso ajudar desta forma aprendendo com a comunidade global onde a Orbis trabalha.

Bob, também um piloto com mais de 30 anos de experiência como estrategista e líder de equipe, conversou sobre fazer o bem e obter as coisas boas. Ele disse que as pessoas se sentem bem em doar, mas qual é o resultado destas doações? “Então você doa a uma organização que está construindo uma população de profissionais de cuidados oculares para que cada vez mais pessoas sejam atendidas - na verdade, você está mudando a sociedade, famílias e comunidades - é uma mudança duradoura.”

Ele se referiu à Era da Filantropia que tem o lema de “fazer cada dólar valer” e disse: “A comunidade da Era da Filantropia nasceu com a filosofia de Zakat (seguida pela religião islâmica). A organização acredita não só em doar, mas garantir o uso eficiente dos fundos. A Era da Filantropia tem uma parceria com a Orbis agora patrocinando um programa de treinamento de três anos, e estamos construindo um centro de simulação para que os médicos possam ter treinamento prático sem precisar tocar em um paciente nas habilidades básicas, mais ou menos como um piloto com oportunidades de perfeição através de tentativa e erro sem realmente afetar ninguém. ”

Ele acrescentou: “Queremos ajudar Bangladesh a acessar tal tecnologia na qual os médicos devem poder praticar cirurgias de simulação para que um médico não aprenda as lições praticando nos olhos de uma criança. A primeira vez que você opera uma criança, vai querer ser perfeito. E então estão fazendo maravilhas para ver no que estão focados. ”

“O FEH é de última geração - tem as máquinas mais modernas, nova tecnologia de fluxo de ar no hospital para prevenir infecções, últimas práticas em como caminhar por portas que previnem infecções e muitas outras tecnologias de ponta. Podemos orientar os médicos locais sobre a próxima tecnologia de ponta para eles, ” disse Bob.

“Às vezes não é útil sair do que temos agora para uma tecnologia de ponta, porque o salto geralmente é muito grande. Podemos ajudar os médicos a irem da tecnologia de ponta para a próxima tecnologia útil. Podemos também orientar os médicos sobre qual nova tecnologia eles devem buscar. E ajudando-os desta maneira, é mais valioso do que apenas dizer, aqui está a tecnologia de ponta. ”

“O motivo pelo qual digo isso é que, às vezes, a tecnologia de ponta vem com contas de consumíveis e suporte que não são baratos. E você quer poder tornar a tecnologia de ponta possível e consumíveis que durem muito tempo. O que fazemos é trazer os técnicos biomédicos e pessoas experientes em consertar máquinas. ”

Bob acrescentou: “Não queremos voltar a um país onde uma peça de equipamento se quebre e ninguém consiga consertá-la. Queremos garantir que eles possam manter o equipamento operando em excelentes condições. Então sou a favor de um desenvolvimento sustentável - trazer capacidades de longa duração, que ajudariam as pessoas a longo prazo. De uma perspectiva pediátrica, experimentamos isso no Zâmbia onde de apenas um oftalmologista pediátrico agora temos vários treinadores que continuam a treinar outros. ” [IDN-InDepthNews - 16 de março de 2018]

Newsletter

Striving for People Planet and Peace 2018

MAPTING

Fostering Global Citizenship

 


Please publish modules in offcanvas position.